A sustentabilidade começa em casa

A sustentabilidade começa em casa

A cada dia que passa somos lembrados que o Planeta Terra está em alerta vermelho. A sustentabilidade não é mais um conceito, mas uma questão de sobrevivência. E não está só nas mãos de governos e empresários:  a sustentabilidade começa em casa.

Sabemos que não depende apenas de nós. Mas é possível sim incorporarmos pequenas ações de sustentabilidade para tentar minimizar os impactos ambientais.

Atitudes e produtos sustentáveis são fáceis de adotar, e fazem diferença. Cada pequena mudança que implantamos em nosso estilo de vida e hábitos de consumo contribui.

Você  certamente já conhece os 4Rs da sustentabilidade (Recusar, Reduzir, Reutilizar e Reciclar) e provavelmente já os inclui ao seu cotidiano. Contudo,  se quiser relembrar, reveja aqui!

Afinal, há sempre novos caminhos para ajudara proteger o meio-ambiente, e sabemos como ele precisa de proteção urgentemente…

Sustentabilidade

Os ecossistemas vêm se degradando a uma taxa alarmante

Este ano, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), lançou um novo relatório Fazendo a Paz com a Natureza (2021).

O documento destaca a gravidade das três principais emergências ambientais da Terra: mudanças climáticas, perda de biodiversidade e poluição.

Acima de tudo, os cientistas apontam que seria necessária uma ação imediata por parte de governos, empresas e sociedade para conseguir reverter os piores impactos ecológicos.

Entretanto, também segundo o relatório, as ações fragmentadas e descoordenadas realizadas sobre estas questões até o momento não chegam perto do necessário para conter o declínio ambiental.

E, principalmente, previnem que e os danos serão cada vez mais irreversíveis.

Já o estudo Alerta de cientistas mundiais sobre uma emergência climática 2021 , endossado por cerca de 14.000 cientistas do mundo todo e publicado na revista BioScience em julho deste ano, alerta que um colapso ambiental é iminente.

Há sinais alarmantes de que a Terra está “no limite”: aumento de incêndios incontroláveis, inundações, ondas de seca ou calor, furacões cada vez mais fortes, erupções vulcânicas, entre tantos outros.

De acordo com esses cientistas, essas são sobretudo reações ao desmatamento da Amazônia, elevados níveis de CO2 na atmosfera, derretimento das camadas de gelo da Antártica Ocidental e Groenlândia e exploração desenfreada dos recursos naturais.

A conclusão do estudo é que só existe uma solução para que as gerações futuras prosperem: acabar com o uso de combustíveis fósseis e as emissões de carbono e proteger e restaurar florestas.

Assim, mesmo que não possamos acabar com os carros, os aviões, as usinas e as monoculturas que usam agrotóxicos, temos nossa pequena parte a fazer. Como já dissemos, as ações de sustentabilidade começam em casa.

Sustentabilidade começa em casa 3
Freepik

Incluir a sustentabilidade à nossa rotina

Um bom começo é repensar os artigos de utilidade doméstica, tão familiares que nem consideramos o impacto que eles podem ter.

Produtos de limpeza são um bom exemplo. A maioria contém tantos agentes químicos que não sabemos nem o que significa. Em suma, todos prejudiciais à natureza.

Os principais vilões dessa lista são o lauril sulfato de sódio (SLS), o lauril éter sulfato de sódio (SLES) e o sulfato de alquibezeno linear. Detergentes, limpadores multiuso e mesmo sabão para lavar roupa têm um ou mais compostos assim na sua lista de ingredientes.

Até há pouco, era preciso pesquisar marcas de nicho na Internet e em lojas de produtos naturais para encontrar produtos biodegradáveis, à base de substâncias que não agridem o meio ambiente.

Atualmente, entretanto , as grandes marcas já estão investindo nesse segmento. As prateleiras dos principais supermercados agora oferecem opções de rótulos limpos, como Vinagreen, Biowash, Positiv.a, Bioz Green, Sétima Geração e mesmo o tradicional Omo.

Infelizmente, ainda é difícil ser verde. A grande barreira para popularizar esses itens continua sendo o preço,  mais alto do que os dos outros produtos. Mas já observamos que a gama de alternativas para os consumidores conscientes está aumentando.

Sustentabilidade começa em casa 4

Considere até a esponja de lavar louça!

Você sabia aquela esponja de cozinha tradicional, de plástico poliuretano, pode levar centenas de anos para se decompor? Por isso, optar pela bucha vegetal (muito conhecida por nossas avós) é muito mais saudável para a natureza.

Ela não só é multifuncional (pode ser usada para limpeza e também no banho) como também  é biodegradável e pode ser reciclada até mesmo em casa, por meio da compostagem seca. E ainda por cima, não risca os metais.

Além dessa bucha, que vem do fruto de uma trepadeira amarela, há várias  outras opções  mais ecofriendly (“amigas” da natureza).  Outro exemplo é a esponja de Coco Ákora, de celulose e fibras naturais de coco. O lado composto pela celulose é menos abrasivo e indicado para
limpeza mais leve, enquanto que o outro lado é indicado para limpeza mais pesada.

A Ákora é 100% biodegradável e se decompõe rapidamente quando descartada. Da mesma marca, existe também a Ecomais Esponja Vegetal. Derivada do milho,  se degrada totalmente no meio ambiente, e pode ser utilizada para lavar até louças mais delicadas, além de frutas e legumes.

Para uma limpeza mais pesada, incluindo grelhas e azulejos, uma curiosa alternativa vem das redes de pesca. Quando inutilizadas,  elas viram um potente esfregão da linha “Fui Uma Rede de Pesca”, da Positiv.a.

Sustentabilidade começa em casa 5

A marca, ecológica e socialmente responsável, tem vários outros produtos criativos – reutilizáveis, veganos, biodegradáveis e compostáveis. Como os saquinhos para frutas e verduras, também de redes de pesca resgatadas dos oceanos. Não rasgam e duram muito. E recuperam um material sintético que poderia acabar como lixo no mar.

Sustentabilidade começa em casa 6

Menos plástico!

Tristes estatísticas apontam que, em 2050, deverá haver mais plástico do que peixes no oceano. Essa já é razão mais que suficiente para reconsiderar o uso desse material.

Substituir as sacolas plásticas descartáveis por outras  de material reutilizável já é quase uma unanimidade. Portanto, dar preferência a embalagens de vidro, papel ou alumínio é, igualmente, uma tendência muito mais sustentável que vem ganhando espaço.

Se o plástico  for a única opção, ainda assim existem  materiais como Plástico PLA, Plástico oxibiodegradável e Polihidroxialcaloato, que têm impacto ambiental menor. A questão é ficar de olho nos rótulos, que indicam o material utilizado.

Do mesmo modo, preferir embalagens retornáveis também é sempre uma ação que favorece o meio ambiente. A Coca-Cola, por exemplo, oferece embalagens feitas com PET mais grosso e resistente que servem para mais de 16 reutilizações.

De fato, as embalagens retornáveis já representam quase 25% das vendas do grupo no Brasil, e incluem as marcas Coca-Cola, Fanta, Guaraná e sucos Del Valle. Dessa forma, a empresa evita colocar nada menos que 1,6 bilhão de garrafas novas no mercado brasileiro em um único ano.

Sustentabilidade começa em casa 7

Troca de escovas de dente

Você talvez já tenha ouvido que as escovas comuns, de plástico, podem levar até 500 anos para se decompor. No entanto, as escovas de  bambu, com cerdas de carvão vegetal, são biodegradáveis. Hoje em dia existem  várias marcas nacionais no mercado, todas  disponíveis para compra online, inclusive nos sites mais populares. Vale destacar que existem modelos infantis também.

Assim como esses exemplos, existem muitas outras maneiras de promover a sustentabilidade dentro de casa. A questão é desenvolver  essa consciência de o planeta precisa da nossa mudança de hábitos.

Algumas outras ações que com toda a certeza fazem  diferença:

  • Separe o lixo corretamente  o lixo orgânico dos materiais como vidro, plástico, papel e metal facilita o processo de reciclagem. Se no local onde você mora ainda não tem este processo, faça a sua parte e tente implementar essa iniciativa
  • Antes de jogar fora, verifique se tem conserto, ou se pode servir a uma outra pessoa
  • Economize água: não deixe a torneira aberta por mais tempo que o necessário, e só ligue a lavadora de roupas ou de louças quando ela estiver cheia
  • Economize energia: troque suas lâmpadas  por outras LED, que iluminam com 10W o que uma lâmpada incandescente ilumina com 60w. A economia pode ultrapassar 80%

Pequenas atitudes  são grandiosas e vão proporcionando, aos poucos, uma nova maneira de viver, muito mais consciente. A natureza agradece. O futuro das próximas gerações também.

Com a colaboração de Thalita Mion

Para acompanhar  dicas e  iniciativas de inovação, ecologia e conservação ambiental, siga a Koobi no Facebook e Instagram. Para comprar a Koobi pelo delivery, acesse o site e peça pela loja online.

Leave a Reply

Your email address will not be published.